sexta-feira , 19 Janeiro 2018
Home / Fatos e Versões / Fatos & Versões 13/12/2017

Fatos & Versões 13/12/2017

Segurança Pública

A coluna já mencionou a respeito da cadeia pública de Varginha e seus inúmeros problemas, bem como as muitas pessoas que trabalham (inclusive voluntárias) para melhorar as condições daquele local. Todavia, recebemos denúncia de uma possível morte na cadeia pública no último mês, segundo as autoridades, um suicídio. Para familiares do morto, algo ainda não solucionado. De qualquer forma, é fato que o final de ano vem chegando e muitos dos presos que ali estão terão direito a saídas de final de ano ou mesmo indultos de Natal. Será que nossas forças de segurança estão preparadas para garantir que os presos que deixaram a cadeia com estes benefícios estarão monitorados e impedidos de voltar a praticar crimes? Será que todos os presos com saída temporária voltarão para a cadeia após o prazo determinado? Como a Justiça, as polícias e a população podem agir quanto aos diversos detentos que sairão nos próximos dias e quantos dos que vão sair não retornarão às grades?

 

Segurança Pública 2

Já que estamos falando da Cadeia Pública de Varginha, como vão as obras de melhoria em andamento naquele local? A fiscalização para impedir a entrada de materiais proibidos nas celas, como cigarros, drogas, bebidas, celulares etc, tem sido aperfeiçoada ou existem falhas graves nesta “fiscalização”? O Governo de Minas tem garantido os investimentos mínimos em nossa cadeia pública, como armamento, treinamento, efetivo e estrutura aos agentes que cuidam da segurança naquele local? Quem fiscaliza isso? Qual trabalho da OAB na cobrança de melhorias na cadeia local, bem como a fiscalização naquela casa?

 

Monopólio

O tema do monopólio do transporte público urbano em Varginha também já foi debatido nesta coluna. O assunto, inclusive, também já foi algo de promessa de campanha na eleição municipal, contudo, Varginha continua com uma única empresa que fornece o transporte público urbano e esta empresa coleciona reclamações da população. É claro que, pela complexidade do serviço prestado, as reclamações nunca vão acabar! Contudo, há tempos quando Varginha possuía duas empresas que concorriam na área do transporte público urbano, as reclamações eram menores e os preços da tarifa mais competitivos. Não acredito que o Executivo municipal teria a coragem de romper com este monopólio, que inclusive rende “atendimento de interesses em períodos eleitorais”; certo que, a existência de outra empresa concorrendo no transporte público em Varginha, certamente seria saudável para a população que usa o serviço! Será que alguém teria essa “coragem para mudar” o que está aí?

 

Hospital Regional inaugura elevadores

O diretor do Hospital Regional do Sul de Minas, Rogério Bueno, militante da causa das pessoas com deficiência há vários anos e há um ano à frente da diretoria do Hospital, concluiu a obra de instalação de elevadores que ligam a maternidade ao piso superior do prédio. A obra chega para dar acessibilidade e maior conforto tanto para mães que se deslocam das salas de parto e pré-parto para os quartos quanto para todos os profissionais e visitantes que circulam pelo hospital. Os elevadores agora ligam setores importantes como Centro Obstétrico, UTI Neo Natal, CTI, Pediatria, cozinha, lavanderia, entre outros. Esta obra é mais uma das muitas realizadas no Hospital Regional pela atual direção.

 

Todavia, vale consignar que os recursos utilizados nestas obras são públicos, oriundos dos cofres da União, Estado e Município. Aliás, o Governo do Estado, colocou alguns milhões no Hospital Regional, contudo, não se sabe o teria feito caso o comando da instituição estivesse em mãos que não fosse petista! Será?

 

Obras entregues?

Mesmo pensamento político se aplica ao Hospital Bom Pastor, que atualmente recebe constante recurso dos cofres públicos municipais. A mesma prática acontecia com o Regional quando administrado por indicados do prefeito, todavia, quando a Prefeitura de Varginha perdeu o controle da instituição para o governo estadual petista, os investimentos de recursos municipais no Regional minguaram! Ou seja, tudo acontece baseado em questões políticas e não na preocupação com a Saúde pública! Aliás o Hospital Bom Pastor recebeu recursos públicos federais oriundo de emenda parlamentar e ainda hoje não entregou as obras programadas! Será que o prefeito vai cobrar seus assessores por este atraso ou a cobrança se aplica apenas aos atrasos do Governo Estadual?

 

Perguntar não ofende

É admirável ver como as inúmeras parcerias entre a Prefeitura de Varginha e o Grupo Unis tem beneficiado toda a população de Varginha! Será que se politicamente o atual comando da Prefeitura e do Unis não fossem alinhados isso estaria acontecendo?

 

Depois que a coluna questionou os valores e renovações nos contratos de alugueis da Prefeitura de Varginha, alguns contratos foram revistos! Já que começamos a limpa, será que os valores gastos com telefone celular diminuíram na Prefeitura ou continuam altos?  

 

Comportamento Legislativo antes das eleições

Ontem a Câmara Municipal de Pará de Minas, na região Central de Minas Gerais, votou em reunião extraordinária projetos que pretendem cortar em até 50% os salários de agentes políticos. O presidente do Legislativo, Mário Justino (PRB), foi quem apresentou duas proposições na Casa. A primeira pretendia cortar pela metade os vencimentos dos 17 vereadores, que são de R$ 8.588,54, e a segunda matéria queria reduzir também em 50% as remunerações do prefeito, do vice-prefeito e dos cinco secretários municipais. Os salários deles são de R$ 18,3 mil, R$ 9.175,72 e R$ 8.504,31, respectivamente.

 

Pelas contas daquele Legislativo municipal, a economia anual seria de R$ 2,5 milhões. A coluna não conseguiu a informação do resultado da votação a tempo de publicar hoje. Já na cidade de Luz, no Centro-Oeste de Minas, aprovaram na última semana, por unanimidade, a proposta que revogou o pagamento do 13º salários aos vereadores. O projeto que previa a volta do “vencimento extra” havia sido votado na reunião do dia 20 de novembro, por oito votos a favor e dois contra, dos vereadores Darvin Basílio e Marcos Diretor. Contudo, após forte pressão popular, os oito vereadores que votaram a favor da concessão da gratificação natalina protocolaram na secretaria da Casa uma proposição revogando a medida que já havia sido sancionada pelo prefeito. Entre as justificativas para revogar a lei está a de que o povo, “legítimo detentor do poder, manifestou-se contrário à concessão desse direito por meio das redes sociais” e nas ruas. Já em Varginha, onde as matérias costumam “primeiro ser decididas por alguns poucos, para depois serem expostas em votação”, é ventilado que se deseja voltar com o pagamento de 13º a agentes políticos. Será que a medida vai adiante? A conferir!

 

Lideranças envolvidas em denúncias de corrupção

Na semana que passou o ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Aécio Neves, de sua irmã, Andrea Neves, de seu primo Frederico Pacheco e de Mendherson de Souza, ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), além de duas empresas ligadas a eles. Por outro lado, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu denúncia contra o governador Fernando Pimentel (PT), no âmbito da Operação Acrônimo, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Pimentel teria participado de suposto esquema de favorecimento da Odebrecht, em troca de vantagens indevidas, quando era ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Segundo estado mais populoso do Brasil, com 21.119.536 milhões habitantes, Minas Gerais já viveu dias mais gloriosos na economia e, principalmente, na política. Hoje, o eleitor do estado sente-se humilhado com seus representantes. Impossível se sentir representado por quem se acostumou a protagonizar os mais recentes escândalos da política nacional. Apenas nessa semana, o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador Fernando Pimentel (PT), juntos, ocuparam grandes espaços na mídia nacional. Não por seus feitos gloriosos à frente de seus mandatos conferidos pelo eleitor mineiro, mas por suspeitas de falcatruas diversas.

 

Câmara de Vereadores com canal de Rádio e TV

O presidente da Câmara de Divinópolis, Adair Otaviano (PMDB), renovou o acordo de cooperação técnica com a Câmara Federal e Assembleia Legislativa de Minas Gerais para a adoção de ações conjuntas visando à transmissão da rede de TV Digital. A Câmara de Divinópolis foi contemplada com o direito de instalar a Rádio Câmara. O Legislativo local já tem assegurado o direito ao canal próprio de televisão, no canal 25, consignado pelo Ministério das Comunicações, mediante de uma subcanalização do canal de televisão digital e a instalação de uma estação de radiodifusão.

 

Em Varginha onde a Câmara de Vereadores vive uma “ditadura do Poder Executivo”, que controla a Rádio Melodia e TV Princesa, não permitindo que os vereadores da oposição tenham espaço nos órgãos públicos de comunicação, seria uma boa alternativa a parceria com ALMG e Congresso Nacional para que a Câmara de Vereadores de Varginha pudesse aproveitar os canais de comunicação do Legislativo estadual e federal. Obviamente que tal parceria deve ser técnica e não política, bem como não implicar em aumento de gastos no Legislativo municipal. Além disso, é preciso que tais órgãos de informação sejam realmente veículos de informação segura ao povo e abertos aos reclames dos cidadãos e não apenas veículos de comunicação com função bajulatória aos políticos governantes.

    

Internet gratuita para a população: Em Varginha falta vontade política

A Prefeitura de Sete  Lagoas começa a colocar em prática o projeto  para oferecer internet  sem fio (wi-fi) gratuitamente para a população. O acesso gratuito faz  parte do planejamento  da Secretaria Municipal  de Planejamento, Orçamento e Tecnologia e o  primeiro local onde o sistema entra em operação  é no Parque Náutico da  Lagoa da Boa Vista, um  dos principais pontos turísticos do município. Em Varginha, onde a internet gratuita também foi promessa em ano eleitoral, o Executivo nada se fez até o momento. Sendo que apenas a Câmara de Vereadores dispensou internet gratuita nas proximidades do prédio do Legislativo. Pelo que se vê, vem eleição, passa eleição e a vontade política do Executivo municipal é o mesmo: zero!

 

TRE: Varginhense na lista tríplice

Saiu a lista tríplice para o cargo de juiz eleitoral substituto do TRE-MG. Os escolhidos pelos 94 desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que votaram na escolha foram: Tiago Gomes de Carvalho Pinto, Gustavo Costa Nassif e Rosan de Souza Amaral. Com 62 votos o advogado varginhense Dr. Tiago Gomes de Carvalho Pinto foi integrado na lista tríplice que será encaminhada ao presidente Michel Temer, que pode escolher o indicado a qualquer momento. O mandato de Juiz do Tribunal Regional Eleitoral é de dois anos, a partir da data da posse. Dr. Tiago Gomes Carvalho Pinto é filho do saudoso empresário Leão Carvalho Pinto e da famosa e destacada pianista varginhense Elvira Gomes Carvalho Pinto. O estudioso advogado Dr. Tiago Gomes tem forte apoio na OAB e também na classe produtiva industrial de Minas, bem como possui boa relação com a classe política minei ra. A nomeação não tem data para acontecer. Parabéns ao Dr. Tiago Gomes, vamos ficar na torcida!

Sobre Redação

Veja Também

Fatos & Versões 27/12/2017

Primeiro suplente As especulações sobre o vice de Lula foram deflagradas este mês após a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *