sexta-feira , 19 Janeiro 2018
Home / Fatos e Versões / Fatos & Versões 06/12/2017

Fatos & Versões 06/12/2017

Privatização petista

Há assessores petistas na equipe financeira do governo mineiro defendendo a venda do BDMG. Alegam que a medida será necessária para reforçar o caixa, melhorar as contas, visto que o Governo de Fernando Pimentel não tem feito nem mesmo para pagar em dia os servidores públicos. E privatizações estão entre as contrapartidas exigidas pelo governo federal para renegociação de dívidas dos Estados. Mesmo com a exigência do Governo Federal em enxugar a máquina pública dos governos estaduais, é de se espantar que os petistas que sempre bateram pesado contra a privatização de bens públicos, hoje aceitem e até defendam tal iniciativa. O Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais BDMG é o único e último banco que sobrou ao Governo Estadual depois da venda do Bemge e Minas Caixa, e vale lembrar que o BDMG tem como maior função o fornecimento de crédito a prefeituras e empresas para o desenvolvimento de projetos e ações que melhorem o estado. A Prefeitura de Varginha possui um financiamento junto ao BDMG, dinheiro fornecido para compra de equipamentos e pavimentação.

 

Aécio, Aelton e Azeredo perdem títulos

A Câmara de Vereadores de Machado revogou no mês passado os títulos de Cidadania Machadense concedidos a Aécio Neves (senador da República; ex-Governador de Minas), Aelton Freitas (ex-senador e atual deputado federal) e Eduardo Azeredo (ex-governador de Minas Gerais). A proposta de revogação da mais alta honraria concedida pelo Município foi do vereador Clayton Nery.  Os vereadores foram unânimes em aprovar os argumentos da revogação dos títulos de cidadania machadense. Se a moda pega nos Legislativos municipais da região, a Câmara de Varginha teria que fazer sessões extras em dezembro para revogar os muitos títulos e honrarias dados a quem não merece! Não é!!!!

 

Fim da safra influencia na geração de empregos

O fim da safra de café ainda está influenciando resultados negativos do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho na microrregião de Varginha. Houveram mais demissões do que contrações no mês passado, superando inclusive o resultado negativo do ano passado nesta mesma ocasião. Segundo dados do Caged, o resultado do mês de outubro acabou derrubando os bons índices anteriores. Em outubro Varginha ficou no vermelho em 149 vagas, ou seja, mais demissões que contratações com carteira assinada. Pior inclusive do que no ano passado no mesmo mês quando o índice negativo ficou em 84 vagas. Todavia, a melhora aparente na economia e a expectativa com as contratações de trabalhadores temporários para a as vendas de Natal são a esperança de que o ano feche no azul em Varginha e região! A conferir!

 

Na promessa

O vereador da base de apoio do Governo, Pastor Fausto França, pediu o aumento das vagas nas creches do município. O pedido teve ares de denúncia visto que é grave o problema de falta de vagas, principalmente nos bairros mais populosos e pobres. O caso é ainda mais grave quando se lembra que uma das principais promessas de campanha de Antônio Silva e Verdi Melo (já nas eleições de 2012) era de aumentar o número de vagas e acabar com as filas até o fim daquela gestão, contudo o que se viu foi justamente o contrário, a fila de espera cresceu e muitas mães e pais de família não tem onde deixar seus filhos para irem trabalhar. Outra promessa que agrava o problema é a falta da escola integral, outra promessa feita por este governo municipal e que ainda não foi implantada em toda a rede pública de ensino. Coisas da política!

 

Perguntar não ofende

Muitos projetos e promessas na área de Turismo, nunca se viu tantos debates a respeito do tema. Mesmo a iniciativa privada está participando das discussões! Mesmo com tanta promessa, alguém reparou que o aeroporto e a rodoviária continuam sem internet?

 

A cerimônia de entrega da obra de reforma do prédio da Câmara de Vereadores foi a última obra do presidente “prefeitável” que deixa em breve a presidência do Legislativo municipal ou o começo de sua epopeia para continuar na mídia e ainda “prefeitável”?

 

Controlando um dos mais complexos e elogiados consórcios intermunicipais de saúde, o jovem prefeito de Andradas Rodrigo Lopes, tem assumido papel de destaque no seu partido o PMDB e entre os prefeitos de Minas! Será que daí sai candidato em 2018?

 

A coluna recebe, por e-mail, denúncias e informações semanais sobre a atuação, ações e até mesmo a vida privada, principalmente de membros do Poder Legislativo e Executivo municipal. Será que, em plena Lava Jato, a audácia dos governantes é que tem aumentado?   

 

Lei do Retorno

Depois de desprezar a maioria da bancada mineira no Congresso Nacional quando da montagem do governo e nomeações estaduais pelo interior, o governador Fernando Pimentel (PT) voltou a Brasília. Desta vez para tentar conquistar apoio de deputados federais e senadores de Minas para aprovar medidas que salvem o caixa de seu governo a tempo de pagar o 13º dos servidores estaduais e dar sobrevida as chances de Pimentel para a reeleição de 2018. É a segunda vez que Pimentel tenta se aproximar da bancada federal, sem muito sucesso! Há meses Pimentel chamou deputados federais para um encontro no Palácio da Liberdade, dos 53 parlamentares mineiros apenas 11 compareceram!

 

Projeto interessante!

O vereador Dudu Ottoni apresentou uma indicação, na Câmara Municipal de Varginha, sugerindo que seja instituída uma campanha de incentivo ao emplacamento e transferências de veículos automotores em Varginha. O pedido foi encaminhado a Prefeitura de Varginha para o desenvolvimento, o que quase nunca acontece, mas a ideia já acontece em outros municípios do Brasil com sucesso e merece atenção do prefeito Antônio Silva. A indicação sugere uma companha de incentivo ao primeiro emplacamento e transferência de veículos automotores com o registro em outro município, para Varginha, através do ressarcimento parcial das despesas.

 

Citando o artigo 158, inciso II, da Constituição da República, o vereador informou que 50% do IPVA pago pelos contribuintes retornam para o município onde o carro encontra-se emplacado e que, por isso, a iniciativa traria maiores benefícios para a população. Trata-se de uma arrecadação importante, pois a Prefeitura pode utilizar esses recursos para a realização de obras e benfeitorias, melhorando os serviços públicos ofertados aos cidadãos varginhenses. A proposta já é realidade em diversos municípios do Brasil e, em tempos de crise econômica, é uma boa alternativa para aumentar a arrecadação sem aumentar impostos. Não é mistério que a maioria das empresas de aluguel de carros da cidade possuem veículos com placas de outras cidades, o mesmo ocorre com as transportadoras, bem como grandes empresas prestadoras de serviço. Se o projeto apontado pelo jovem vereador fosse alvo de campanha do município, certamente que a arrecadação municipal teria aumento na rubrica de IPVA, que aliás começa a ser pago no mês que vêm!

 

Fomenta Minas tem sucesso de público

Com participação recorde nos locais dos eventos na Cidade Universitária, o Fomenta Minas termina com um saldo estimado em negócios de cerca de R$ 72 milhões. Todas as palestras e workshops com lotação total. Além das rodadas de negócios e painéis, outra atração foram as palestras, todas lotando o auditório. No primeiro dia, o jornalista da Globo News, Gérson Camarotti. Na quinta-feira, 30, o jornalista Ricardo Boechat, âncora do Jornal da Band e da Band FM. Coube à jornalista da Rede Globo, Glória Maria, a palestra de encerramento. Este é mais um evento que, por meio da participação de órgãos públicos e privados, principalmente a iniciativa privada e sem as vaidades políticas que permitiram a união de forças entre Estado e município, conseguiu chegar ao sucesso. Tomara que novas iniciativas assim possam prosperar e que os políticos tenham consciência de que o Brasil precisa unir a classe política (que ainda resta livre de escândalos) com os empresários para melhorar a vida no país.

 

Judiciário de saias

A primeira desembargadora na corte do Tribunal de Justiça de Minas Gerais foi Branca Margarida Pereira Rennó, em 1988. Ela precedeu a desembargadora Márcia Milanez, que pode vir a ser a próxima corregedora do TJ mineiro. E já que se está resgatando a memória da magistratura feminina, a primeira juíza mineira foi Raphaela Alves Costa, empossada na comarca de Guia Lopes, atual São Roque de Minas, em 1960. Segundo fontes da coluna no TJMG, não será por agora que Minas terá uma mulher a frente do Judiciário estadual, contudo, essa possibilidade cresce a cada dia tendo em vista a efervescente leva de juízas que chega ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais a cada concurso.

 

Mobilização da AMM contra Pimentel

Por causa dos atrasos nos repasses e confisco semanal do ICMS pelo governo de Minas, a Associação Mineira de Municípios (AMM) promoveu ontem uma mobilização de prefeitos, vereadores, secretários e servidores dos municípios mineiros para forçar o governo a cumprir as obrigações constitucionais de repasses, que vêm sofrendo constantes atrasos e faltas. Mesmo após cobranças e reuniões, com compromissos de amenizar a situação, os avanços foram mínimos, e hoje o quadro real é insustentável, diz a entidade. Segundo a AMM, das dez parcelas mensais de 2017 do transporte escolar, ainda falta o repasse de cinco, que totalizam R$ 160 milhões; das obrigações do governo com os municípios para a manutenção d os serviços de saúde pública, segundo levantamento do Conselho de Secretários de Saúde (Cosems-MG), a dívida é de cerca de R$ 2,5 bilhões. Do repasse semanal do ICMS aos municípios, que deve ser realizado todas as terças-feiras, os atrasos voltaram a se repetir, e a dívida chega a quase R$ 500 milhões.

 

A democratização da mídia

A coluna já falou sobre este tema importante nos momentos de hoje: democratização da mídia. O assunto é muito discutido também pelo Partido dos Trabalhadores – PT! Quem nunca ouviu o ex-presidente Lula dizer que é perseguido pela imprensa e colocar a culpa na mídia por muitos dos problemas pelo qual passa o Brasil? É comum que, principalmente os políticos tenham certa restrição, medo e até perseguição com a imprensa! Todavia, uma das principais provas de existência de Democracia viva e saudável é justamente a atuação livre e firme da imprensa, que age dentro das leis, cobra e fiscaliza os poderes.

 

Em Varginha a imprensa é atuante e viva, contudo, boa parte dos órgãos de comunicação da cidade estão sob o comando da Prefeitura de Varginha. Assim acontece com a TV Princesa, Rádio Melodia e Jornal Varginha (Diário Oficial). Neste sentido se percebe que tais órgãos não trazem a realidade ou dureza das críticas do povo quando da insatisfação do trabalho do Executivo. Além disso, vê-se que nestes órgãos de comunicação estatal, a oposição não tem espaço ou vez! Quando foi a última vez que alguém viu algum vereador da oposição (como Carlos Costa/PMDB) ser entrevistado nestes veículos?  

Sobre Redação

Veja Também

Fatos & Versões 27/12/2017

Primeiro suplente As especulações sobre o vice de Lula foram deflagradas este mês após a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *